06/09/2014

Palavras ao vento: Suas contradições

Foto: WeHeartIt

Você que gostava de acordar 5h da manhã todos os dias, tomar seu café tranquilo e me mandar lindas mensagens de bom dia... Hoje não acorda mais esse horário, não toma café e sai sempre atrasado de casa, para não se lembrar de mim. Dizia-se tão insensível, e hoje sei que evita passar por lugares que fomos para não lhe bater a tristeza. Dizia-se muito engraçado, mas a piada sem graça que você ri até hoje é a de eu ter acreditado em você. Você que se dizia corajoso, mas ficou tão covarde e não quis lutar. Dizia-se tão vencedor, e me deu de bandeja para os adversários. Ou melhor, eles venceram por WO. Você que se dizia tão sonhador e persistente, insistia em dizer que nunca iria desistir dos seus sonhos, desistiu de mim. Desistiu dos nossos sonhos, de nós. Você que dizia amar conhecer novos lugares, pessoas novas, está cruzando uma linha reta, sem trilhas diferentes, uma estrada só, que te leva sempre ao mesmo caminho. As pessoas com as quais você conversa te enjoam porque falam sempre dos mesmos assuntos. Mas eu que falava de vários assuntos você cansou de ouvir. Repetia todos os dias que eu era linda, mas no fim disse também que esta era minha única qualidade. Agora eu sei por que você a repetia tanto. Não conseguia enxergar seus próprios defeitos, tampava os olhos, se fingia de inocente, mas os meus, você crucificou. Fazia questão de encher o peito para falar que brigas não levavam a nada... Mas por muitas vezes foi rude e ignorante. Dizia que eu era a sua princesa... Mas príncipes de verdade não trocam as incertezas pelo final feliz. Seus dias agora são nublados pois o meu sorriso iluminador não faz mais parte deles. As horas demoram a passar, mas desta vez você não se importa, porque não sou eu que você verá no fim do dia. Não será meu amor que você terá. Talvez nesse momento, se encontre nos braços de outro alguém, apesar de sempre ter dito que jamais amaria alguém como eu. 
Com tantas contradições, eu já nem sei o que dizer. Se for você quem está com toda a certeza, como hei de saber?

Amava o mar, mas tinha medo de se afogar. E eu te afoguei, nesse mar imenso, de amar, que é o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Hi, Cultura! . Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo