07/07/2015

A COR DA HUMILHAÇÃO

 Fonte: FB Gallery

Naquela manhã morreu um negro. Mais um. "Era bandido!" disse alguém que passou perto do crime. Mas José era trabalhador. Acordava todos os dias as 5h da manhã e chegava às 22h da noite em casa. Tinha dois empregos, trabalhava para mudar de vida. Aos finais de semana estudava, estudava muito para tentar a tão sonhada vaga na universidade. Com a universidade pública ele sonhava, é claro, pois o dinheiro era pouco e jamais teria condições de pagar. Financiamentos? Não para alguém que não tinha nem como garantir o pagamento. Filho de pais negros, morador de favela, já tinha seu destino traçado. "Lugar de negro é na cadeia" ouvia desde criança. E de tanto ouvir, parecia que aquilo era parte de sua realidade. Embora tentasse fugir do cenário do crime, aquilo parecia o seu destino, estava escrito. José era honesto, humilde, trabalhador, seu defeito? Nasceu negro. Negro não pode sonhar, negro não tem oportunidades, negro não muda de vida. Mas ele era sonhador. Sonhava com um futuro melhor para seus pais e seus irmãos. Com uma casa digna, Com filhos ao redor de uma mesa farta. Não aceitava sua realidade diferente do convencional. Ele queria ter uma casinha para morar em algum lugar aconchegante. Não passar mais frio nas noites de agosto, nem calor extremo vendendo doce na praia. Não queria trabalhar de pedreiro com seu padrasto. Não é que não fosse uma profissão digna, mas não era aquilo que ele sonhava. Trabalhar de sol a sol, de domingo a domingo, ele não queria aquilo. Além disso, não queria para sua vida aquela realidade cruel da favela. Na favela onde morava seus amigos que desde muito novos foram iniciados no crime em busca de uma vida “melhor”. Ameaçados ou seduzidos por traficantes que lhes prometeram mundos e fundos, os jovens acabaram se iludindo nessa vida fácil. Mais da metade já estava morto por policiais naquele tempo, e a outra metade estava na cadeia. Um ou outro que “escaparam” a tempo, foram mortos pelos próprios traficantes pela famosa lei do silencio que eles tanto prezam.

Fonte: Página 13

Quais suas opiniões sobre a redução da maioridade penal?

Na minha opinião, o que deveríamos prezar e lutar é por educação de qualidade. Jovens inteligentes não precisam roubar para ter conforto em seu lar. Por coisas que foram tiradas dos jovens brasileiros e pobres há muito tempo, negros ou não... Cadeia não é uma solução, ensino de qualidade É!

Minhas opiniões são embasadas nos prós e contras da redução da maioridade penal. Balanceei os dois lados nesse texto. Queria mostrar a vocês que a solução desses jovens não é na cadeia, e sim, na escola (ou deveria ser). Temos que honrar o nosso novo lema: não é mesmo, Pátria Educadora?

Deixem aqui nos comentários o que acham sobre isso... espero que tenham gostado da exposição do meu ponto de vista <3 um beijo e até o próximo post.

8 comentários:

  1. Bom, eu nunca vi alguém se tornar uma pessoa melhor após passar um tempo na cadeia. Tá certo que é difícil julgar alguém que perdeu um parente por causa de um menor e dizer que essa pessoa está errada em querer ver esse menor que matou seu familiar, na cadeia. Se um menor fizesse mal para qualquer um da minha família eu com certeza iria querer essa pessoa na cadeia.
    Por isso minha opinião sempre diverge nesse ponto.
    Acho que não dá pra ser oito ou oitenta. Cada caso é um caso e deveria ser aplicada uma punição de acordo. Seja a pessoa ser presa, seja infligir alguma medida socioeducativa, para tentar recuperar esse jovem.

    ooutroladodaraposa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rai, que pensamento diferente hahaha você é das minhas adorei. Concordo super que cadeia é a ultima opção :)

      Excluir
  2. Caraca, demais esse texto! Sem palavras, disse td!
    Mas, vou contra você na opinião sobre a redução...eu sou a favor rs
    Gosto de posts assim!
    Beijão
    www.pequenaverissimo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria saber pq vc é a favor, qual sua opinião certinha pra entender :D
      Um beijoo

      Excluir
  3. O erro de quem argumenta a favor da maioridade penal é que eles acham que na legislação atual não acontece nada com quem é menor. A impunidade pode ser um problema, mas daí é um erro do judiciário e não do legislativo, pois nossa lei prevê que o adolescente seja julgado, mas como adolescente. Não é uma pena menor, não é não acontecer nada, é apenas aceitar que, como um louco não pode ser julgado como um são, um adolescente não pode ser julgado como adulto. E um adolescente de 16 anos não tem uma mentalidade completamente formada pra ser punido como adulto.
    Sou contra a impunidade, mas tbm sou contra a redução da maioridade penal. Na maioria dos casos, o jovem foi endereçado ao crime pela falta de oportunidade ou lhe faltou educação(dos pais, da sociedade, não exatamente a da escola). E, por ainda não ter o caráter completamente formado(na maioria dos casos), ele ainda tem "salvação". Se mata uma criança a cada vez que se joga ela numa jaula como a Febem. Ao deixar em uma cela de cadeia, está criando um psicopata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caaaaaaaara! Que textinho fod**! É exatamente isso, jogando uma criança lá eles pioram ainda mais o que já são. E o problema está justamente nessas particularidades, escola, sociedade..
      Obrigada pelo comentário, Mayã
      Beijos

      Excluir
  4. Nossa... sem palavras!

    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que isso seja uma coisa boa hehe
      Beijos Ana

      Excluir

© Hi, Cultura! . Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo