28/07/2015

Resenha: Filme Robocop



Assisti esse filme nos cinemas, porém como vocês sabem eu sou uma menina -super- ocupada, e ainda não havia postado a resenha dele aqui. Ok, aqui está.

A história do filme se passa no ano de 2028, onde robôs estão sendo utilizados para manter a segurança, porém, ainda não podendo utilizá-los no combate ao crime, a empresa OmniCorp (criadora dos robôs) quer mudar essa lei, aprovada pela maioria dos americanos, que alega que os robôs não tem a "sensibilidade" das pessoas/policiais.

Então Raymond (Michael Keaton), dono da empresa resolve criar um robô que tenha consciência humana. E aparece então como "candidato" a homem-robô o policial Alex Murphy (Joel Kinnamam) que sofreu um acidente e está entre a vida e a morte, como "retribuição" o médico lhe dá um corpo de robô e começa a controlar seus atos. Só que vemos que não é tão simples assim -mesmo colocando um corpo de robô- controlar alguém que tem sentimentos, que tinha uma vida normal toda por trás de sua vida de policial, e além disso não concordava com as ferramentas da Omni.

Assisti duas vezes esse filme, e não me canso. É um filme que tem cenas de ação na medida certa, sem muitas cenas e nem poucas. É um remake do filme Robocop original de antigamente, e acredito ser um remake ótimo por todas as comparações que li. Não assisti o filme original, por isso não posso dar meu parecer sobre ele. 

Além disso, o filme consegue comover um pouco, apesar de tudo que envolve ação. É um dos poucos filmes de ação que vi que consegue expressar sua mensagem desta forma. Quando o filho de Alex e a esposa dão depoimentos, por exemplo, é uma cena que emociona. No geral, o filme dá um show até mesmo para quem não curte o gênero -eu-. É de brilhar os olhos.

Espero que gostem do filme!! Um beijo, e até o próximo post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Hi, Cultura! . Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo