27/07/2015

Resenha: Ninfomaníaca Volume I e II (+18)


Fonte: Poster do filme

Olá galera! Hoje trouxe uma resenha mais polêmica que mamilos. Ok, nesse filme aparecem mamilos. Então a resenha é polêmica. Vocês entenderam? Não? Enfim.

Primeiro quero dizer a quem quer que esteja lendo essa resenha: só assista o filme de mente aberta. Isso porque é um filme com muitas cenas sexuais, nu frontais, então se a sua cabeça te diz "é um filme pornô", não assista, pois não é esse o tema central do filme. As cenas de sexo servem somente para ilustrar uma história, a de Joe, uma ninfomaníaca (ou seja, viciada em sexo). Ninfomania é uma doença que quase não é diagnosticada, pois todos levam o vício por sexo como algo "normal" (principalmente no caso dos homens!!), e se esquecem de que isso exagerado pode trazer sérios problemas mentais e psicológicos, os mesmos que acontecem com Joe. O filme relata isso de forma a fazer o telespectador ficar assustado e ao mesmo tempo abismado, confuso.

O filme é dividido em Volume I e Volume II, ambos com 2 horas de duração. O segundo filme inicia exatamente no ponto onde o primeiro terminou e não há, de forma alguma, maneira de assistir o segundo sem ter visto o primeiro. É em total ordem. O que acaba tornando o Volume I um filme incompleto e sem um final. E um ponto negativo para quem começa assistindo ao contrário (do 2 para o 1). Mas no dois filmes juntos encontram-se todas as respostas. Os dois filmes se completam.

Volume I

O filme começa com Joe jogada em uma ladeira e é encontrada por um Sr. de idade que a leva para sua casa, ela então começa a contar a história de sua vida para ele. O filme inteiro é contado em lembranças de Joe, começa desde a sua infância com a descoberta da sexualidade. E passa para a adolescência com sua paixão platônica por Jerome, a perda da virgindade, as loucuras com suas amigas, entre outros dilemas. Joe tem uma personalidade forte e decidida, e demonstra isso várias vezes no filme, embora demostre não saber bem o que quer, e às vezes se faz de sonsa para "enganar" as pessoas. É uma personagem principal marcante.


Volume II

Em alguns momentos do filme me prendi à angustia de Joe em cada momento vivido por ela. A busca por algo que aos olhos dela era a coisa mais preciosa, o prazer sexual. Prazer este que é visto por Joe desde muito criança, como já falei aqui. Mostram-se etapas no filme como seu casamento, o nascimento de seu filho, as decisões que correm sobre ela e o anseio de saciar-se mediante a tudo isso. Joe tem dificuldades como qualquer outra pessoa e deixa isso claro no filme. Acaba se envolvendo no crime como uma diversão... e aí paro por aqui.

O filme é fácil de compreender e ao mesmo tempo bastante filosófico, algumas atitudes de Joe são bastante questionáveis em nossas vidas. Será que muitas vezes não colocamos nossos vícios acima de nossa vida? Será que muitas vezes não nos deixamos seduzir pelos prazeres e acabamos prejudicando outras áreas? Será que também temos um lado Joe?

Espero que tenham gostado dessa resenha e assistam!! Um beijo, e até o próximo post.

2 comentários:

  1. Mas tá um arraso essa Katlyn, hein? hahaha adorei a resenha, já coloquei na minha lista pra assistir. ♥ Sucesso!

    Beijos, Larissa.
    www.ruivando.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA obrigada Lari :D
      Quero ver o que vai achar, hein!!
      Beijão

      Excluir

© Hi, Cultura! . Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo